(388) Sentindo em nossas vidas, o passado e o futuro. (Parte I).

A linha divisória entre o passado e o futuro não é clara nem muito menos definida, é um estado de indiferença quanto a tudo que aconteceu e uma expectativa ansiosa e alegre em relação ao futuro. É isso aí.

São palavras do astrólogo Oscar Quiroga, sobre o “tempo” em nossas vidas, em sua quinquagésima quarta participação nesta nossa caminhada para o “autoconhecimento”. Complemento com esta sua explicação, divulgada no horóscopo do dia 22 de janeiro do ano passado:

O futuro não é distante, sua mente o aproxima constantemente através de projeções imaginárias, e seu corpo precisa responder da melhor maneira possível a esse apelo, porque se ficar sem resposta, a decepção se avoluma..

O “tempo” é, para todos nós, uma necessária e condicionante abstração indicadora de realizações e desejos, pelo fluir da nossa existência nesta dimensão de vida. Concordo com Quiroga, ao reconhecer uma “aparente” separação do “passado” com o “futuro” [acrescento: e com o nosso “presente”], principalmente por causa das suas imprevisibilidades. Também como acredito, talvez a nossa noção de “futuro” esteja mais sentida dentro de nós [se comparada a do “presente” e do nosso “passado”], como necessidades de mudanças, renovações e de novos desejos de perpetuação.

Na mensagem 385 [postada no dia 24 do mês passado] inovei citando várias personalidades que já se manifestaram sobre o tema principal de cada um dos nossos encontros. Recentemente recebi um comentário elogiando essa iniciativa, por entender que além de enriquecer a nossa caminhada para o “autoconhecimento”, também permite conhecer o que já disseram a respeito. Vejam a seleção abaixo, sobre o “futuro”:

Steve Jobs: “Cada sonho que você deixa pra trás, é um pedaço do seu futuro que deixa de existir.”, Charles Chaplin: “Enquanto você sonha, você está fazendo o rascunho do seu futuro.”, Victor Hugo: “O Futuro tem vários nomes. Para os fracos e covardes, chama-se Impossível. Para os comodistas, Inútil. Para os pensadores e os valentes, Ideal.”, John Lennon: “A vida é aquilo que acontece enquanto você está planejando o futuro.”, Confúcio: “Se queres prever o futuro, estuda o passado.” e “Se queres conhecer o passado, examina o presente que é o resultado; se queres conhecer o futuro, examina o presente que é a causa.”, Eleanor Roosevelt: “O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos.”, Einstein: “Não me preocupo com o futuro; muito em breve ele virá…”. , “A distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão teimosamente persistente.” e “Não penso nunca no futuro porque chega muito rápido.”, Peter Drucker: “A única coisa que sabemos sobre o futuro é que ele será diferente.” e “A melhor maneira de predizer o futuro é criá-lo.” , Heródoto: “Pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro”. , Clarice Lispector: “Sou inquieta e áspera e desesperançada. Estou cansada. Meu cansaço vem muito porque sou pessoa extremamente ocupada: tomo conta do mundo. Meu esforço: trazer agora o futuro para já.” e “O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente vivido”. , Antoine de Saint-Exupéry: “Preparar o futuro significa fundamentar o presente.”, John F. Kennedy: “A mudança é a lei da vida. E aqueles que confiam somente no passado ou no presente estão destinados a perder o futuro.”, Joey Ramone: “Ser negativo com relação ao futuro significa não aproveitar a vida.” ,Franklin D. Roosevelt: “Nem sempre podemos construir o futuro para nossa juventude, mas podemos construir nossa juventude para o futuro.”, Mahatma Gandhi: “O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente.”, José Ortega y Gasset: “A vida é uma série de colisões com o futuro, não é uma soma do que temos sido, e sim do que desejamos ser.”, Thomas Jefferson: “Gosto mais dos sonhos do futuro do que da história do passado.”, Dian Fossey: “Quando você percebe o valor de toda a vida, você se ocupa menos com o que é passado e se concentra mais na preservação do futuro.”, Aristóteles: “O instante é a continuidade do tempo, pois une o tempo passado ao tempo futuro.” e Lord Byron: “O melhor profeta do futuro é o passado.”

Nesta nossa jornada para o “autoconhecimento”, cuja sugestão de criação recebi por intuição (mensagem 001), nunca imaginei que fosse chegar ao atual número de mensagens já postadas. Desde o início, a minha única preocupação sempre foi a de manter um certo padrão no tamanho das mensagens, o que foi impossível pela relevância de muitos dos temas enfocados [como o deste nosso encontro]. A solução encontrada foi a de apresentar mensagens em partes. Até agora foram feitas as seguintes séries:

Sentindo a “necessidade humanista” de conhecer o autismo (216 a 220), Sentindo o espelhar interior das imagens sensoriais dos deficientes visuais (224 a 230), Sentindo, para o seu “pós-pandemia”, que já podemos modular a percepção dos nossos sentimentos (296 a 305), Sentindo a subjetividade das nossas percepções sensoriais de “solidão (309 a 314), Sentindo a importância de conhecer e significar o nosso “viver”, nesta pandemia (318 a 320), Sentindo a necessidade de conhecer as nossas subjetivas interações emocionais (326 a 327), Sentindo como devemos entender as necessidades de mudanças em nossas vidas (332 a 336), Sentindo nas contemplações artísticas, uma das fontes de autoconhecimento (343 a 345), Sentindo em nossas buscas de “autoconhecimento”, a importância do inconsciente (362 a 364), Sentindo o que acontece em nossas tomadas de decisões (380 a 381) e Sentindo como devemos entender a verdade (386 a 387).

Continua no nosso próximo encontro. Conto com você.

Notas:
1. A reprodução parcial ou total, por qualquer forma, meio ou processo eletrônico dependerá de prévia e
expressa autorização, com indicação dos créditos e links, para os efeitos da Lei 9.610/98 que regulamenta os direitos de autor e conexos.
2. Havendo nesta mensagem qualquer alegação ou citação que mereça ser melhor avaliada ou que seja contrária aos interesses dos seus autores, mande a sua solicitação para edsonbsb@uol.com.br .

Muita paz e harmonia espiritual para todos.

Sobre Edson Rocha Bomfim

Sou advogado, natural do Rio de Janeiro e moro em Brasília. Idade: Não conto os anos. Tenho vida. Gosto de Arte, Psicologia, Filosofia, Neurociência, Sociologia, Sincronicidade e Espiritualidade. Autores preferidos: Carlos Drummond de Andrade, Fernando Pessoa, Mark Nepo, Cora Coralina, Clarice Lispector, Lya Luft, Mia Couto, Mario Sergio Cortella e Mauro Maldonato. edsonbsb@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Busca Interior. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *